DENGUE: Estrela Não cometerá os mesmos erros

Nos anos anteriores, a cidade ganhou e as manchetes dos principais jornais da região ao ser uma das primeiras no ranking de números positivos de Dengue no Estado de São Paulo

“A realidade agora é outra. Por isso fizemos questão de reunir todos os agentes e representantes da Saúde Estrelense para iniciar o plano de combate e erradicação do mosquito em toda parte da cidade”, disse o prefeito Antônio após a reunião de agentes de Saúde, realizada na UBS Central de Estrela D´Oeste, com a equipe da Vigilâncias Epidemiologia e Sanitária e a Secretaria Municipal, Bete Garcia.

Além dos planos e do mapeamento das áreas de risco epidemiológico, Garcia apresentou ao prefeito o planejamento para o início da vacinação com a Febre Amarela, cujo princípio de surto começa a ganhar as cidades do noroeste paulista.

Má FAMA NO PASSADO

Na época, Ministério Público Federal e Estadual perceberam falhas que colocaram o município no topo da lista das cidades paulistas com maior número de casos, proporcionalmente ao número de habitantes.

A proliferação da doença acabou sendo considerada consequência da falta de ações de prevenção. Foi o que apurou uma investigação do Ministério Público Federal e Ministério Público do Estado. É que em 2015, ainda na gestão do ex-prefeito Pedro Itiro, a Sucen, Superintendência de Controle de Endemias, encontrou irregularidades nos serviços prestados pela prefeitura.

E além das falhas foram identificadas vistorias inadequadas, segundo o promotor de justiça Cleiton Luis da Silva. “Dentre estas falhas nós também temos vistorias virtuais que seriam em tese registradas e não foram efetivamente realizadas, ausência de IPIs outras questões que dizem respeito às diretrizes do Ministério da Saúde para o combate a dengue”, informou o promotor na época.

TRABALHO CONTINUO

As equipes de Limpeza, Controle de Vetores, Vigilância Sanitária e Secretária de Saúde de Estrela D´Oeste, fazem um grande mutirão nos fins de semana no combate de pragas e focos do mosquito da Dengue. Os alvos foram os diferentes bairros e residências da cidade.

Após os terrenos baldios e as vias serem limpos e roçados, as equipes do controle de vetores recolheram entulhos residenciais e abandonados em terrenos que possam servir de criadouros para as pragas.

A ideia da administração, é reverter o quadro apresentado pela cidade em 2015, quando ganhou as manchetes nacionais com altos índices de infectados pelo mosquito da Dengue.

Enquanto isso a Secretaria de Saúde deu início aos planos e mapeamento das áreas de risco epidemiológico, estendendo o foco também ao combate dos nichos de proliferação do “caramujo africano”.

A Secretária Bete Garcia também já cuida do planejamento para o início da vacinação com a Febre Amarela, cujo princípio de surto começa a ganhar as cidades do noroeste paulista, além da atualização de todas carteiras de vacinação da população.